Entrevista com Leila Cohn

Pequenos ajustes, Grandes mudanas
(Matria publicada no Jornal do Brasil de 04/09/04)
De Maria Vianna


A psicloga Leila Cohn passou seis anos em Berkeley, na Califrnia estudando e trabalhando com o psiclogo americano Stanley Keleman, precursor nos estudos e ensinamentos da psicologia formativaTM, tcnica que trabalha intensamente com a conexo entre o corpo e as emoões. De volta ao Brasil, fundou, em 1995, o Centro de Psicologia FormativaTM, no Rio, onde atende pacientes e ministra palestras sobre essa vertente da psicologia. Mestre em psicologia pelo California Institute of Integral Studies, ela acredita que possvel provocar grandes mudanas em uma pessoa atravs de ajustes no comportamento. Leila ressalta que, para uma vida equilibrada, essencial que o indivduo conhea seu corpo intimamente, pois l que esto as respostas para a maioria de seus anseios.

Na psicologia formativaTM o terapeuta inclui um trabalho corporal baseado nas teorias e metodologia de Stanley Keleman, do Center for Energetic Studies, em Berkeley, na Califrnia. Keleman criou um mtodo com cinco passos, no qual o paciente, com a orientao do terapeuta, organiza novos comportamentos atravs da percepo de certos gestos e posturas. um mtodo que une os processos biolgico, psicolgico e social para mudar atitudes que interferem negativamente na vida do paciente.

Como isso funciona na prtica?
Atravs de um esforo muscular voluntrio, a pessoa percebe uma srie de atitudes prejudiciais que faz de forma automtica. Se estou trabalhando com algum impulsivo, por exemplo, peo para ele reproduzir determinada atitude. lgico que no comeo ele no vai entender, talvez nem se lembre o que faz no momento da impulsividade. No importa, pois o padro de comportamento tambm est em sua estrutura fisiolgica. Imitando e desconstruindo a ao, durante a sesso de terapia, a pessoa comea a se perceber. A experincia fsica se torna uma experincia emocional, que vai mexer com pensamentos e emoões e, assim, ela comea a entender por que age daquela maneira. A mudana de comportamento leva à mudana de atitude em relao à vida, e pequenas mudanas fazem uma grande diferena.

Em quanto tempo os pacientes vem os resultados?
Como o trabalho age no padro muscular-emocional, a resposta rpida. A questo principal como sustentar, manter e estabilizar a mudana conquistada. A transformao ocorre imediatamente, mas sua estabilizao um processo, o paciente precisa praticar exerccios em casa e na sesso de terapia.

Na psicologia formativaTM, h uma nfase em conectar corpo e mente. Qual o prejuzo que temos com essa desconexo?
Vivemos em uma cultura que separa o corpo que pensa do que sente. A maioria das pessoas se lembra do corpo quando adoece ou por questões estticas. Elas vivem dizendo que precisam cuidar do corpo, como se ele no fosse delas mesmas. Isso gera uma srie de problemas orgnicos e emocionais. No h ciso entre ns e nosso fsico, somos uma coisa s. A sociedade no respeita nosso ritmo biolgico, quando algum diz estar cansado geralmente j ultrapassou seus limites e est exausto. Esse excesso leva à desconexo e a pessoa passa a buscar referncias fora dela, procurando respostas em academias, clnicas de esttica, cirurgias plsticas e antidepressivos.

Por que as pessoas esto tomando cada vez mais remdios?
Isso mostra que elas esto tentando se cuidar, mas no sabem como. O indivduo est distante de si mesmo e isso gera um vazio existencial grande, ele fica sem saber o que sentir, sem saber qual a sua verdade. Busca em outros lugares respostas para questões que so suas, de mais ningum. Quando somos incapazes de dialogar com ns mesmos, surge uma grande carncia. Vamos, ento, a mdicos, massagistas, academias. Tudo na tentativa de nos sentirmos melhor. Trata-se tambm de uma questo de mercado, que cria novas necessidades de consumo. Temos que filtrar as informaões.

Existe alguma queixa entre seus pacientes que seja comum a todos?
Os problemas e as queixas so diferentes, pois cada um tem uma histria de vida, mas h um denominador comum na questo do envelhecimento. Com a chegada da meia idade, h uma dificuldade de aceitao dessa nova fase sem haver sentimento de vazio, de achar que a vida est no fim. algo cultural. Nossa sociedade no honra a maturidade, que uma poca em que se colhe os frutos plantados, quando h uma mudana de ritmo, de anseios, de viso de mundo. S que a propaganda mostra isso como uma fase de perdas, de envelhecimento. As mulheres so ainda mais bombardeadas por essa falsa idia e se sentem decadentes. Todo um trabalho deve ser feito para que o indivduo enriquea com a maturidade e entenda que seu crescimento continua.

Qual o caminho para conseguir conciliar as presses externas e internas, e viver em paz?
fundamental que o indivduo assuma as rdeas de seu processo de crescimento. Ele tem que entender que a vida est sempre se transformando e que a possibilidade de mudar sempre existe. Na psicologia formativaTM, trabalhamos muito com esse conceito, para que o indivduo perceba que ele no vtima das circunstncias ou de suas emoes. Existe sempre a possibilidade de mudar, de influenciar a si mesmo e transformar sua viso de mundo. Entender que mudanas positivas podem ser feitas a toda hora essencial.

Metodologia formativa
A psicologia formativaTM faz uma abordagem baseada na noo do corpo como um processo somtico em constante formao. A metodologia formativa, ou a ''prtica de corpar'' trabalha com o contnuo pulsatrio inato de contrao e expanso de nossas clulas e tecidos, e com a relao entre corpo e crebro. Ela faz com que a pessoa participe assertivamente do seu processo de auto-regulao e de suas transiões de forma. Os exerccios possibilitam alterar padrões de organizao somtico-emocionais, influenciando nosso senso de identidade.



Em julho de 2015 Leila Cohn entrevistou Stanley Keleman sobre o processo de envelhecimento e os desafios de ser mais velho na sociedade atual.
Leia a entrevista, clique aqui

Agora todos os vídeos com legenda em português
videos legenda
clique aqui para assistir

Formação Profissional 2018 Saiba Mais

Fale Conosco | Links